ADM365
Geradores estão preocupados com custos extras para cobrir risco hidrológico

As empresas geradoras estão preocupadas com o impacto financeiro com compra de energia no mercado de curto prazo e já falam em pedir ajuda ao Governo Federal e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Embora os números ainda sejam preliminares, a estimativa é de que as companhias tenham que desembolsar R$4 bilhões para pagar o chamado “risco hidrológico”, relativo às liquidações de janeiro.

Esse custo acontece quando as hidrelétricas geram abaixo dos contratos de venda de energia e precisam suprir essa diferença comprando energia no mercado de curto prazo, que tem como referência o Preço de Liquidações de Diferenças (PLD). Porém, uma exposição alta das geradoras somada a um PLD alto resulta em impactos no fluxo de caixa das empresas.

“A gente entende que essa é a regra do jogo e não contestamos. Agora, logicamente, algumas geradoras podem ter problemas com fluxo de caixa”, pontuou Luiz Fernando Vianna, presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine).

Em busca de uma solução, Vianna disse que solicitou nesta quinta-feira (21/02) uma reunião com representantes do Ministério de Minas e Energia (MME). “Ainda não tivemos resposta”. Ele também planeja recorrer ao BNDES. “A ideia é verificar a possibilidade de uma linha de financiamento (para os geradores).”

Segundo Vianna, porém, não é possível prever os gastos futuros dos geradores com risco hidrológico. “Esta foi a situação de contratação naquele mês (janeiro). Não sabemos como isso está, pois cada gerador faz a sua alocação de energia”.

Os R$4 bilhões divulgados pela Apine fazem parte de um resultado “pré-contábil”, por tanto, não é um número oficial. O resultado final do impacto da compra de energia no curto prazo por parte dos geradores relativos a janeiro deve sair assim que ocorrer a liquidação do mês, que é feita pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Em janeiro, o PLD chegou a marca dos R$500 por MWh, valor bem superior há muitos contratos de venda de energia hidrelétrica firmados em leilões regulados. Para se ter uma ideia, a energia hidrelétrica normalmente é comercializada abaixo dos R$100 por MWh. Diferente das distribuidoras, quando há um custo maior com a compra de energia, essa gasto é absorvido pelo gerador.

“É um problema setorial e entendemos que vai ser dado uma solução”, completou Vianna.

Fonte: Jornal da energia

 

COMPARTILHE:

Representadas